Direito Sistêmico

O Direito Sistêmico é a aplicação das Constelações Familiares Sistêmicas no judiciário. Inclui o trabalho com os jurisdicionados, enquanto ferramenta eficiente na resolução de conflitos, bem como o trabalho com os profissionais que atuam na área, mostrando-se útil na qualificação do serviço prestado.

O Juiz Sami Storch, da 2ª Vara de Família de Itabuna (BA), foi um dos primeiros magistrados a adotar as Constelações no Poder Judiciário, em 2012, com resultados expressivos na resolução de conflitos. Anteriormente, nas audiências, o índice de conciliação era de 73%. Com a presença de uma das partes na prática de constelação, o índice de satisfação dos acordos chegou a 91%. Já com participação as duas partes envolvidas, houve 100% de sucesso na conciliação.

Com o Direito Sistêmico, as Constelações passaram a fazer parte, portanto, dos novos métodos de resolução de conflitos, os quais encontram respaldo na Resolução nº 125/2010 do Conselho Nacional de Justiça, que trata da Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário.

Mediação Sistêmica

Em uma sessão de constelação são abordados conflitos de origem familiar, frequentemente judicializados, como violência doméstica, endividamento, guarda de filhos, divórcios litigiosos, inventário, adoção e abandono.

Supervisão Sistêmica

Em uma sessão de constelação são abordadas dificuldades dos profissionais que atendem os jurisdicionados ou prestam assistência a pessoas em conflito, no trabalho com determinado caso, temática ou processo.

 

 

Mediadores Sistêmicos:

- Adriana Ribeiro

- Luciana Salvador


 

Contato: ​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​Email: institutopertenser@gmail.com -  (45) 99106-1216

Endereço: Rua Rui Barbosa, 820, s. 201. Centro -  Foz do Iguaçu /PR

  • Instagram
  • Facebook Social Icon